O seu diário de notícias do Mundo MapleStory

Arquivo para a categoria ‘Ossyria’

8. Setor Ômega pt. 1


O Setor Ômega é uma base militar localizado numa pequena ilha na base da Torre Eos. As pessoas do Setor Omega possuem uma das tecnologias mais avançadas do mundo, e eles com certeza precisam dela. Recentemente, o Setorsofreu ataques de aliens invasores do espaço. Houve um pequeno aviso, e seus objetivos eram desconhecidos. Felizmente, um morador de Henesys descobriu o aviso antes que os monstros pudessem atacar e entregou o aviso ao lider de Henesys, o Chefe Stan. Incapaz de entregar a notícia ao setor Ômega, ele pediu à um viajante que estivesse indo para o Setor Ômega e entregasse o aviso ao Dr. Kim, a quem o aviso estava misteriosamente enderessado. Depois de um longo caminho,  ele finalmente chegou ao Centro de Comandos do Setor Ômega e entregou o bilhete ao Dr. Kim, chocado com o bilhete do espaço e com o fato do viajante ter percorrido um longo caminho, ele o recompensou. Era muito tarde, entretanto; os aliens já haviam começado seus ataques. Dr. Kim era um criador genial e estava trabalhando em um enorme robô para combater estes aliens. Assim, ele pediu ao viajante que levasse o projeto do robô a seus três melhores soldados, Chury, Hoony e Gunny. Chury estava no Silo, então foi fácil comunicá-lo sobre os planos. Depois de apresentar o projeto à ele, Chury pediu ao viajante para mostrar o Projeto para Hoony, assim como também levar algumas comidas espaciais, pois ele estava em pesquisas de campo há algum tempo. Hoony estava nos campos do Setor Ômega, e após lanchar e ver os projetos do robô, pediu ao viajante que entregasse a arma laser de Gunny, aproveitando que ele iria mostrar os planos à ele. Concordando, Hoony lhe entregou a arma laser e o viajante continuou sua jornada até encotnrar Gunny. Retornando à base, Dr. Kim o recompensou novamente pelos serviços prestados.

A invasão ainda continuava. Dr. Kim pediu para o viajante voltar e ver o robô terminado, mas isso demoraria muito tempo. Depois de temporariamente visitar o Setor Omega, o viajante começou a escalar a torre Eos, voltando para Ludibrium. No topo da torre, havia uma casa velha caindo aos pedaços, lá dentro ele encontrou uma garota chamada Korin. Ela parecia muito confusa, e ele tentou ajudá-la. Ela disse que esteve perdida pelos últimos dez meses, e recentemente começou a não perceber sobre esse tempo todo. Ela disse que logo depois que chegou em casa, ela foi interrogada por dois homens estranhos usando roupas pretas sobre o que tinha acontecido durante o tempo que ela estivera perdida. Korin não tão boba, percebeu que estes homens provavelmente sabiam algo sobre seu sumiço. Desesperada, ela pediu ajuda ao viajante, que concordou prontamente. Havia apenas um lugar onde ele sabia que coisas estranhas como essa aconteceriam: O Setor Omega. Cansado de toda a escalada, o viajante descansou e finalmente voltou ao Setor Ômega. Não demorou muito encontrar a pessoa que se encaixasse com as descrições de Korin. O  viajante contou ao homem sobre as dificuldades que Korin tem passado. O homem de preto poderia dizer se o visitante estivesse mentindo, e como não era o caso, decidiu contar a verdade. Ele era o Agente Marco, e estava investigando desaparecimentos de pessoas por todo o mundo no último ano. Quando Korin foi abduzida, ele já estava a caminho mas chegou muito tarde, e não havia mais nada que pudesse fazer para salvá-la. Ela, assim como outras pessoas foram abduzidas pelos Mateões, alguns dos tipos de aliens que estavam invadindo o Setor Omega! Eles roubaram suas memórias e agora estavam carregando fragmentos dela. Marco disse que poderia reunir os fragmentos, se alguém as conseguisse para ele. Sem hesitação, o viajante começou a lutar contra os Mateões. Depois de centenas deles, ele coletou todos os Fragmentos de Memórias e os entregou para Marco. Assim ele uniu as peças transformando-as nas memórias de Korin, que parecia como uma jóia preciosa, e cuidadosamente Marco a entregou ao viajante. Ele o avisou  que as memórias eram f´rageis, e que depois de recuperar as memórias, Korin entraria em estado de choque, mas que isso seria normal. De volta à torre Eos o viajante começou a escalar a torre de volta à casa de Korin em Ludibrium. Ela ficou surpresa de vê-lo retornar tão rapidamente, e demorou um tempo para que acreditasse em sua história. Ele lhe entregou suas memórias e o cristal foi absorvido por ela. Ela subitamente lembrou-se de tudo. Os aliens tentaram conseguir informações de Ludibrium e do Setor Omega a partir de suas memórias, mas ela lutou contra eles, finalmente escapando depois de dez longos meses presa. Extremamente grata, ela deu ao viajante um pergaminho.

Depois  de algum tempo, o viajante, que estava cuidando de alguns problemas no Castelo de Ludibrium, ficou curioso sobre como estavam indo as construções do Robô. Ele desceu a torre e chegou no Setor Omega, imediatamente a caminho do escritório do Dr. Kim, no Centro de Comando, e o Dr. estava feliz em revê-lo. A estrutura do robô já estava completa, agora era hora de começar a construção em si. As partes eram manufaturadas na Fábirca de Ludibrum, e precisavam ser entregues no galpão de Ômega. O viajante sabia o que teria que fazer, e começou a escalar a torre Eos. Depois de chegar em Ludibrium, ele procurou pelo Assistente Cheng, o homem que o Dr. Kim estava falando. Eles já tinham feito contato, e Cheng lhe entregou as caixas. Mais uma vez, o viajante desceu a torre Eos para o Setor Omega e cansado, entregou as caixas para o Dr. Kim. O Dr. Kim estava impressionado com as tarefas do viajante e lhe deu as Cápsulas de Transporte de Ludibrium , que poderia instantaneamente transportar qualquer pessoa para Ludibrium.  O viajante ficou um pouco irritado, no começo, pois ele poderia ter usado estas cápsulas e evitar todas aquelas viagens pela torre, mas ele finalmente agradeceu ao Dr. por não ter que viajar mais uma vez. Depois de descansar, o viajante estava pronto para partir para Ludibrium quando o Dr. Kim o alcançou. As peças foram roubadas pelos aliens quando estavam sendo transferidas para onde o robô estava sendo construido. Felizmente, os soldados colocaram dispositivos de monitoramento nas caixas, e suas localizações poderiam ser apontadas. Os aliens esconderam elas no Campo Boswell, mas todos os soldados mais fortes estavam ocupados. O viajante decidiu que esta seria uma chance de agir mais do que um mero entregador, e saiu a procura das caixas. Depois de destruir os dispositivos de armazenamento dos aliens, ele recuperou as caixas e as levou para o Setor Omega. O Dr. Kim estava tão feliz, que deu ao viajante mais várias cápsulas de transporte, algumas que o levariam para o Centro de Comando do Setor Ômega, em vez de Ludibrium.

Satisfeito com seu trabalho, o viajante estava mais uma vez preparado para usar a Cápsula de Transporte de Ludibrium. Mas desta vez, o General encarregado de coordenar todo o Setor Omega, o General Maestro, chamou o viajante. Ele disse que os fofinhos e pacíficos Coelhos com Tambor na Torre de Eos de repente ficaram ferozes, e monstros irritados, atacando todos os viajantes. Era tão suspeito e incomum que o General começou a presumir que os aliens estivessem envolvidos. Os relatórios iniciais revelaram que os Coelhinhos estavam carregando um Cristal Escuro e sem vida. Mesmo que o seu poder já estivesse esgotado, eles ainda transmitiam uma aura maligna. O General Maestro precisava estudar seus efeitos nos monstros. O viajante escalou a Torre Eos e nos andares ao centro da torre,  caçou alguns Coelhos com Tambor, atrás desses cristias. Demorou um certo tempo, mas ele finalmente voltava para o Setor Homega com todos os Cristais Escuros que precisaria. O general estava satisfeito com os resultados, mas ainda inquieto. Os Coelhos com Tambor foram originalmente criados para começar o Festival em Ludibrium, mas o festival teve que ser fechado, e os coelhos começaram a se transformar em monstros. Entretanto, os Cristais sem vida providenciaram algumas provas. Parece que os aliens envolvidos com isto eram os, Cinzões. O General Maestro pediu ao viajante que fosse ao Campo Kulan e investigasse as coisas dos Cinzões até encontrar alguma coisa que valesse a pena. Depois de destruir alguns dispositivos de armazenamento, o viajante encontrou um documento escrito na lingua dos Aliens. Ele entregou o documento ao General Maestro, que usou os tradutores avançados do Setor Omega para ler. O documento detalhava o plano que contaminaria os Coelhos com Tambor. Usando cristais Negros, criados de amostra de maldade formados nas mentes dos monstros malignos que contêm grande quantidade de poder maligno, criaturas dóceis e puras poderiam ser contaminadas e forçadas a virarem monstros. Os aliens usavam estes cristais para transformar os inocentes Coelhinhos com Tambor em monstros crueis para auxiliá-los em seus ataques no Lago Ludus.  Os Cristais Negros eram a unica coisa que faziam os monstros se tornar maus, depois que o poder maligno do cristal começava a enfraquecer, eles se transformavam em Cristais Escuros e sem vida. Uma solução temporária poderia ser usada descoberta pelo General, usando Cristais escuros e minérios de cristal negro. O viajante correu para a Torre Eos para lutar mais Coelhos com Tambor e coletar seus cristais escuros. Não muito depois, o General poderia selar o poder maligno, por um certo tempo. O viajante recebeu um pergaminho poderoso por seus serviços, mas os problemas no Setor Ômega não estavam nem pertos de terminar…

Anúncios

7. Leafre


A Floresta Minar é um dos maiores aspectos do continente de Ossyria. Ela toma uma grande parte ao sudoeste.  A floresta é densa e incrivelmente perigosa, habitada por poderosos monstros e dragões aterrorizantes. Toda a região é isolada e por isso é raro de se encontrar um humano por aí. Ao centro da Floresta Minar está Leafre, uma vila fundada pelos Hafrings, uma tripo de nativos inteligentes que são peludinhos. Os Hafrings cuidam dos ovos dos dragões e se asseguram que eles estão a salvo, e em troca os dragões protegem os Hafrings dos perigosos monstros. Os dragões criados pelos Hafrings são muito mais dóceis e menos feroses que os que nascem na natureza, e além disso fazem a floresta mais segura. Eles se ocupam de diversas habilidades, desde aquecer os ovos e limpá-los, até cantar e tocar instrumentos para os bebês recém-chocados. Os Hafrings responsáveis por chocar os ovos vão tão além de somente chocá-los que eles decoram o ambiente com cores calmas para fazer os dragões felizes.

Os Hafrings não são as únicas criaturas vivendo na Floresta Minar, entretanto. A floresta tem outros residentes como por exemplo os Kentauros, criaturas meio-humano, meio-cavalo que surgem em três diferentes cores que variam de acordo com seu atributo elemental. As facções entre os Kentauros estão em constante guerra uns com os outros: Fogo contra Água, Água contra Escuridão. Eles lutam sempre resultando em grandes batalhas, que divide a floresta em seções isoladas. Ocasionalmente, um infeliz grupo de Hafrings pode se meter no meio dessa guerra e se ferir sériamente. O único remédio que pode curar um Hafring é aquele criado do Capim Mastigado de Birk, mas os Hafrings são simples e não tão fortes ao ponto de conseguir tal item sozinhos.
Felizmente, um bondoso viajante ajudou os Hafrings derrotando os Birks e coletando os capins, assim salvando as vidas de muitos. Leafre era aberta à humanos, e muitos viajantes começaram à chegar. Esses novos viajantes, entretanto, não eram os primeiros a visitar a Floresta Minar. Havia um humano vivendo na densa floresta por um bom tempo.

Raul, um guerreiro, era essa pessoa. Ele passou muito tempo com os Hafrings e sabia que eles estavam ameçados, mesmo que eles não soubessem disso. Ele reuniu um grupo de guerreiros poderosos e os levou para o centro da floresta, onde uma perigosa criatura se escondia. O Dragão Cérebro, uma criatura maligna de três cabeças estava ameaçando a Caverna da Vida, onde os ovos dos dragões eram guardados. O Chefe Tatamo, lider de Leafre, enviou uma mensagem para seu velho amigo, Grendel de Ellinia, pedindo um item especial para proteger seu vilarejo. Depois de muitas pesquisas, ele finalmente encontrou a Água Pura da Proteção. Essa água especial pode ser pingada em um item para instantâneamente criar um escudo invisível para proteger o objeto de qualquer coisa. Essa água, se colocada estratégicamente em uma árvore ao centro de Leafre, seria o bastante para proteger a floresta toda. Infelizmente, o Dragão Cérebro já havia tomado a Caverna da Vida. Ele estava se escondendo nas profundezas da caverna, bloqueando o acesso ao ninho dos Nove Espíritos dos Dragões, onde se choca o ovo de um dragão especial, que poderia liderar todos os dragões da floresta de Minar. Raul sabia que ele teria de chegar ao ninho, e organizou um pelotão de Dragões para chegar até lá. Infelizmente o Dragão Cérebro, os pegou de surpresa e eles quase foram exterminados. Raul apenas escapou, sofrendo ferimentos graves, mas ele perdeu o ovo dos Nove Espíritos. O Dragão Cérebro, percebendo que esse dragão seria uma ameaça para seu demínio, roubou o ovo para previnir que ele não se chocasse. Depois de retornar à cidade, Raul pediu que um poderoso viajante o ajudasse a lutar contra o Dragão Cérebro. O viajante, percebendo os terríveis ferimentos de Raul, insistiu que ele ficasse e deixasse tudo sob o seu controle. Raul concordou, depois de muito convencimento, claro.

Outros problemas começaram a surgir na Floresta Minar, entretanto. A árvore que estava sendo regada com a Água Pura da Proteção começou a ficar da cor vermelho-sangue. Os Hafrings estavam preocupados com isso, e pediram para que o viajante levasse ao cnhecimento de Grendel os acontecimentos. Depois de estudar o problema por algum tempo, Grendel finalmente descobriu o que estava acontecendo: A barreira estava se enfraquecendo pela falta do Dragão dos Nove Espíritos. Ele providenciou uma solução temporária, mas era apenas temporária e a única maneira de permitir que a Barreira não se desfizesse era derrotando o Dragão Cérebro. O item necessário para fortalecer a barreira só podia ser obtido dos Kentauros, entretanto, eles não entregariam o item assim tão facilmente. O viajante levou à informação à Leafre e derrotou vários Kentauros e coletou suas chamas, essências e ossos para fortalecer a barreira. O Chefe Tatamo agradecido aceitou os itens e usou os mesmos para fortalecer a barreira imediatamente. Enquanto isso o Dragão Cérebro continuava lançando uma escuridão ameaçadora sobre a cidade.  O viajante se dirigiu à Caverna da Vida para enfrentar a criatura cruel.

A caminho da Caverna da Vida, havia uma ninhada de Wyverns, Raul o avisara deles; Os Wyverns são os dragões mais violentos de todas as espécies, eles não são nativos da floresta Minar. Eles viviam nas terras pantanosas da ao norte da região, mas eles se aliaram ao Dragão Cérebro para atacar a floresta. Ele sugeriu que o viajante eliminasse 18 Wyverns de cada tipo para afastá-los de sua vigia. O poder maligno do Dragão Cérebro começou a permear o ar da floresta, foraçando vários monstros à ficarem maus, incluindo os Wyverns.

Havia também uma garota aprisionada na Caverna da Vida, Moira. Ela pediu que o viajante levasse os espíritos corrompidos dos monstros para que ela pudesse escapar. E também avisou ao viajante para fugir também antes que os Guardiões do Dragão Cérebro o pegasse, mas ele recusou-se alegando que iria lutar contra todos. Vendo que o viajante não mudaria de ideia, ela lhe deu poções especiais que permitiria ao viajante se infiltrar na caverna. Depois de reunir seu grupo, os viajantes usaram as poções, que os disfarçaram de Corniões, e eles passaram pelo guardião. Finalmente o viajante entrou na Caverna da Vida, e começou a atacar o Dragão Cérebro. A batalha durou por um longo tempo; o grupo destruia seu corpo, uma parte por vez. Depois de muito tempo, um ataque final destruiu o dragão maligno e o Ovo dos Nove Espíritos foi recuperado. O recém-chocado Dragão dos Nove Espíritos recompensou o herói e seu grupo.

Raul parabenizou o pelotão e os recompensou também, e seus nomes foram ditos pelo mundo todo como o time que finalmente salvou Leafre das garras do cruel Dragão Cérebro.

6. Ludibrium pt. 2


…Infelizmente, não era esse o caso. Os monstros de outra dimensão começaram a passar um a um através da “Rachadura Dimensional” como o tempo em Ludibrium flue de uma forma diferente do que na outra dimensão eles se tornaram mais fortes.

Alishar, que era o guardião do portal dimensional entre os dois mundos se corrompeu. Com isso fez com que todos os outros monstros passassem através desse espaço utilizando as suas chaves e os “Passes da Dimensão”. Com isso eles passaram a Tomar o andar 101 da Eos e tornaram algumas áreas somente acessíveis através desses passes. Além disso, graças a rachadura dimensional, a entrada criada por Alishar se tornava ainda maior e em breve toda a Torre Eos estaria em perigo. O Rei de Ludibrium percebeu que a única maneira de acabar com isso seria contratar poderosos viajantes para que eles pudessem subir no andar 101 da torre e acabassem com a ameaça de Alishar. Para evitar com que pessoas se machucassem, colocou um aviso na entrada do andar, impedindo com que pessoas sozinhas passassem do andar 101 para a torre abandonada.

Um grupo derrotou os monstros das outras dimensões e pegou os passes de volta. Além de conseguirem adentrar na área contaminada da Torre e adiante. Alishar percebendo a chegada, invocou monstros ainda mais fortes para detê-los, Os “Robloco Rei” da outra dimensão eram invencíveis, mas um Gatuno, escondido nas sombras passou sem ser notado e conseguiu recuperar os passes.

Alishar, percebendo que não se tratavam de pessoas comuns, chamou o líder dos Roblocos, Rombot. O grupo ficou abismado com o poder mínimo do líder dos Roblocos e os venceu, tomando seus respectivos passes também, fazendo com que Alishar criasse logo em seguida um complexo código para evitar que os usuários entrassem na sala do seu Trono. O grupo descobriu o código, mas ao entrar encontraram o trono vazio!

Alishar fugiu!

Mas espere! Um Ratz da outra dimensão ainda não conseguiu escapar. Um arqueiro puxou as suas flechas e acertou o Ratz em cheio. Com isso um passe que ele levava caiu, e o seu poder forçou Alishar a voltar para a sala do trono, sair do seu esconderijo entre as dimensões e se enfurecer contra o grupo.

Após uma longa batalha Alishar foi derrotado e voltou para a outra dimensão, mas não sem antes deixar cair as chaves para o portal dimensional. O grupo foi recompensado pelo Rei de Ludibrium, e o mensageiro do Rei disse que sempre que o castelo precisar de ajuda. Eles serão chamados.

A paz em Ludibrium porém, não durou muito. A principal fonte de poder de toda a cidade a “Esfera do Tempo”, está perdendo força para alguém… ou algo. O que causou um grande problema. Sem o fluxo do tempo tudo na cidade pararia. O Rei chamou um time para verificar a esfera do tempo, que fica ao fundo da Torre do Relógio. E a informação não foi nada boa. O número de monstros que rodeavam a esfera cresceu absurdamente e várias variações deles apareceram também. E ainda pior a esfera do tempo estava soltando táquions no chão, o objeto usado para produzir energia que faz a cidade funcionar.

Sr. Bouffon, a pedido do Rei, recrutou um poderoso viajante para ajudar a arrumar a Esfera do Tempo. O viajante desceu através do Caminho do Tempo e derrotou os fortes monstros que lá habitavam e que se tornaram ainda mais fortes após obterem o poder disponibilizado pelos Táquions no chão. O Sr. Bouffon pediu uma pequena amostra de Táquions para ter certeza se eles ainda funcionariam. Depois de combinar os Tachions com uma quantidade de Pó Misterioso que o viajante coletou, ele conseguiu criar uma pequena e nova Esfera do Tempo. Agora que ele sabe como funciona, o Sr. Buffon pediu uma grande quantidade de táquions e pó misterioso para criar uma nova, completa e integral Esfera do Tempo.

Sr. Bouffon, contente com o favor, começou a usar os materiais para construir uma nova esfera para substituir a anterior. Porém um novo problema tirou a atenção de todos. A fenda dimensional na parede cresceu por não haver mais a Esfera do Tempo e monstros ainda mais poderosos passaram. Papulatus, um monstro incrivelmente poderoso que nem se compara com os poderes de Alishar conseguiu passar e começou a sugar os Táquions que saíam da Esfera do Tempo. Somente trocar a esfera agora não seria mais suficiente. Afinal Papulatus iria sugar a nova também. alguém precisaria derrotá-lo de uma vez por todas e estabilizar o controle de energia de Ludibrium, colocando a cidade fora de perigo. Porém antes deveríamos fechar a fenda dimensional na parede, criando uma armadilha para Papulatus uma vez que tudo o que ele faz é entrar na nossa dimensão, sugar os Táquions e fugir para a sua dimensão usando o buraco de dimensão na parede.

Depois que Papulatus passou, muitos outros monstros também o seguiram para o mundo Maple exatamente pela mesma passagem que Papulatus seguiu, enquanto outros, devido aos problemas com a Esfera do Tempo seguiram por outras fendas dimensionais menores. Com a ajuda de Flo, um poderoso mago, foram derrotados vários Vigias Fantasmas Mortais  e  Espíritos do Capitão Viking, monstros de outra dimensão. Após ter derrotado vários desses, o viajante encontrou com um deles uma peça dimensional que era muito parecida com a mesma entrada que Papulatus usou para chegar a esse mundo e a chamou de “Pedaço A da Fenda Dimensional”.

Após a morte de mais monstros, foram encontradas as peças B e C que juntas combinavam com a entrada da fenda dimensional usada por Papulatus. Flo deu o conjunto de peças ao viajante que a levou para o Sr. Bouffon. Após um longo treino, o viajante desceu para os confins da Torre do Relógio. O Sr. Bouffon informou que para entrar na sala da Esfera do Tempo  era necessária uma medalha especial, e tal medalha foi roubada pelo incrivelmente forte Guarda do Portão  e não existe mais o acesso a torre com exceção do próprio Papulatus. O viajante então derrotou o Guarda do Portão, recuperou a medalha e entrou finalmente na sala “Origem da Torre do Relógio”. Com isso inseriu o pedaço da fenda dimensional para fechar a passagem entre os dois mundos, fazendo com que a velha Esfera do Tempo e o próprio Papulatus aparecessem.

Ao ver o viajante, Papulatus tentou fugir com seu relógio imediatamente. Mas ao perceber que a sua rota de fuga estava selada, ele passou a investir em uma seqüência enorme de ataques!

Mas foi derrotado. A nova Esfera do Tempo poderia ser colocada de volta no lugar da anterior, e o viajante foi recompensado com honras. nomeado o Herói de Ludibrium e premiado com uma poderosa capa simbolizando a sua vitória.  A fenda entre as dimensões fora selada, mas não significa que todos os problemas foram resolvidos…

5. Ludibrium pt. 1


 

Ludibrium, assim como Orbis, é uma cidade que também está no ar. Entretanto, diferente de Orbis, O castelo de Ludibrium é suspenso por duas torres enormes de 100 andares, chamadas Torre Eos e Torre Helios. O Castelo todo é feito de tijolos de brinquedos, que parecem não ser fortes, mas devido a estrutura de encaixe de cada um, foi possível criar uma enorme e formidável barreira contra monstros. Ludibrium está tão alta que o Sol brilha 365 dias no ano. Ao contrário de sua aparência infantil e de brinquedos, Ludibrium é altamente avançada e é lá que existem fábricas que produzem incríveis quantidades de brinquedos, além de usar um sistema integrado de consumo de força, que é liberada por poderosos itens chamados Táquions e pelo fluxo do tempo.

As torres, como são enormes e valorizadas, também é o lar de monstros locais. Então os soldados de Ludibrium precisam limpar as mesmas de vez em quando. Ultimamente porém, o número de soldados passou a diminuir devido a ameaça recebia no Setor Omega, e os soldados não tiveram outra escolha senão pedir ajuda aos viajantes para limpar as torres também.

 

Para ajudar na limpeza, Nemi liberou alguns ratos de brinquedo para eliminar os monstros e resolver o problema.

 

Porém isso só piorou a situação. Então foram soltos Canoros para acabar com os ratos, porém eles criaram ninhos do lado de fora da torre e se recusam a entrar.

 

Além disso, monstros como os Robloco Golens querem destruir as torres para construir outra com o seu nome! Os viajantes são contratados para eliminá-los e recuperar as peças deixadas por eles. Os Robloco Golens estão sob a influência de Cristias Sombrios. Além de destruir a torre e criarem outra, eles usam as peças para criar ainda mais golens. O líder desses golens é o Rombot, um monstro que se revoltou e deve ser destruído de uma vez por todas.

 

 

 

Os Coelhos com Tambor são outros monstros bonitinhos que estão fora de controle. De alguma forma, eles foram expostos aos poderes dos cristais e começaram a usar a sua energia para operarem por conta própria! Tornaram-se selvagens, raivosos e passaram a destruir a torre. O General Maestro, do Setor Omega, pede para que os viajantes destruam os Coelhos com Tambor e retirem os cristais de seus corpos. Os cristais na sua maioria já estão totalmente gastos, deixando de ser Cristais Sombrios e passando a ser Cristais Apagados.

Porém, a Torre de Eos não é a única área de Ludibrium que tem problemas. A Torre do Relógio, bem no meio do castelo parou de funcionar! Depois de alguma pesquisa, o Sr. Bouffon descobriu que existe uma pequena rachadura no fundo da Torre. E por ela passou um pequeno monstro que roubou o Pêndulo da Torre. Se escondendo dentro de uma das salas da Torre de Eos, cheia de casas de bonecas.

Com a habilidade de se disfarçar, esse monstro se misturou com as outras casas. Felizmente um viajante com bons olhos conseguiu ver a diferença entre as casas e achou o monstro, recuperando o pendulo. O viajante devolveu o pendulo para o Relôgio do Vovô dentro da Torre, que o arrumou e o relógio passou a funcionar novamente. Por um tempo tinha-se a certeza de que estava tudo bem e todos voltaram com seus afazeres. Mas a “Rachadura Dimensional” no fundo da torre ainda estava aberto…

4. Orbis


Orbis é a primeira cidade que um viajante de Victória encontrará de todo o vasto continente de Ossyria. Orbis na verdade não é um continente mais, pois graças às forças dos cristais de Lítio refinados e encantados com os poderes da alquimia de Magatia, a cidade se mantém flutuando nos céus, sobre a montanhosa El Nath. A cidade foi levada aos céus há muito tempo atrás pela Deusa da Sabedoria Minerva, que governava Orbis. Ela passava o tempo todo em uma torre especial construida para ela pelos humanos de Ossyria. Recentemente, os humanos lhe presentearam com uma enorme estátua de sua imagem; ela gostou tanto que ordenou que a colocassem dentro da Torre então ela poderia tomar chá e admirar sua estátua toda manhã. Muitos viajantes que passavam por lá visitavam a deusa todos os dias, e nem todos eram humanos ou fadas; ocasionalmente, monstros vinham também. E num certo dia, o nojento Papa Pixie veio à torre, pedindo que Minerva o vendesse um pouco da Água da Vida para que ele pudesse criar mais Duendes. Minerva se recusou, e assim, ele foi forçado a deixar a torre, muito insatisfeito.

 

 

 

No dia seguinte, a deusa acordou e encontrou sua estátua quebrada!

O culpado deve tê-la quebrado na madrugada e destruiu sua preciosa estátua, mas acidentalmente deixou uma pegada. Papa Pixie voltou não muito tempo depois, se oferecendo para concertar a estátua em troca da Água da Vida. Minerva estava tão feliz com as notícias que ela não percebeu o quão suspeito Papa Pixie estava agindo. Depois que o Papa Pixie deixou, os humanos vieram, e Minerva rapidamente cobriu a estátua com um pano, embarassada com que isso tivesse ocorrido com uma deusa. Ela decidiu que a estátua deveria ser concertada o mais rápido possível, e assim forçada a contratar o Papa Pixie. Seu camareiro, Eak, tentou avisá-la que era uma má idéia, mas ele importunou tanto a deusa que ela dividiu seu frágil corpo de nuvem, forçando-no a ficar quieto.

 

 

Papa pixie, vendo que Eak agora estava demitido, trouxe mais duendes para a torre.

Seu ato final de traição, ele pediu que Minerva modelasse para ele, assim ele poderia concertar a estátua corretamente. Ela ficou em frente à estátua quebrada então o Papa Pixie a selou ali, escondendo as peças da estátua sobre toda sua torre, prevenindo que o selo se quebrasse. Somente um grupo de seis poderosos humanos poderia desafiar Papa Pixie e libertar a deusa de sua prisão na estátua de mármore…

e muitos locais do continente flutuante caíram em desespero e eventualmente foram tomadas por monstros. Alguns moradores dessas áreas se recusaram a deixar, apesar dos monstros rodeando suas casas. Um desses residentes é a vidente, Spiruna. Ela teve uma visão de um terrível destino para Orbis há algum tempo; a cidade flutuante estava lentamente caindo e logo colidiria com o chão! Ningnuém sabia exatamente a causa dessa queda de Orbis, entretanto uma teoria era que orbis estava ficando pesada devido ao rápido crescimento dos monstros no continente voador. E as forças negativas liberadas pelo Zakum e outros monstros malignos aumentaram essa força de queda.

 

Particularmente os Jr. Grupim, Celion e Lioners parecem ser os culpados.

 

 

Assim que alguma alma corajosa acabar com algumas centenas deles, a cidade irá parar de cair, ou ainda cair mais lentamente.

Depois de muita investigação, descobriram que os culpados eram os duendes do Papa Pixie. Eles estavam roubando os poderes das nuvens e pedras que mantinham Orbis nos céus para que recuperassem seu HP e MP. Finalmente, depois de acabar com muitos duendes, as nuvens foram recuperadas para reparar o dano causado. Spiruna usou seu Spray de Nuvens para redestribui-las corretamente e Orbis estava novamente salva.

%d blogueiros gostam disto: